Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lua sem Sol

"Hoje eles vivem assim....separados, o SOL finge que é feliz, a LUA não consegue esconder que é triste."

Lua sem Sol

"Hoje eles vivem assim....separados, o SOL finge que é feliz, a LUA não consegue esconder que é triste."

É espectacular .............

Esta semana a crónica do Ricardo Araújo Pereira na Visão está um espectáculo. Deixo aqui a mesma para que possam ler e ver a capacidade que este rapaz tem de dizer as verdades a rir. Parabéns Ricardo e continuo a adorar tudo o que escreves.

 

"Sobreviver à doença, escapar da cura

 

Primeiro, houve o pânico provocado pela gripe A. Agora, há o pânico provocado pela vacina contra a gripe A. A doença gera pânico; a cura gera ainda mais.

 

8:56 Quinta-feira, 29 de Out de 2009

 

Já se demitiram ministros por causa de anedotas relacionadas com a saúde pública portuguesa, mas isso não foi suficiente para que a saúde pública portuguesa deixasse de parecer uma boa anedota. Talvez seja útil fazer um pequeno resumo das últimas e intrigantes ocorrências no âmbito da nossa sempre divertida saúde. Primeiro, houve o pânico provocado pela gripe A. Agora, há o pânico provocado pela vacina contra a gripe A. A doença gera pânico; a cura gera ainda mais. O medo é tanto que eu tomaria uns calmantes, se não tivesse medo de os tomar. Bem disse o filósofo José Gil que os portugueses tinham medo de existir: entre deixar de existir, por causa da gripe, ou continuar a existir, graças à vacina, vacilamos. Na dúvida, receamos as duas. Não é fácil ser doente - e deve ser ainda mais difícil ser médico, que tem de confortar o paciente quando contrai a doença e confortá-lo mais ainda enquanto lhe administra a cura.

Visto de fora, desde que se descobriu o novo vírus da gripe os portugueses passaram a correr para um lado gritando "Fujam, vem aí a doença!", e depois passaram a correr para o outro gritando "Fujam, vem aí a cura!" A fugir, estamos sempre. Só muda o perseguidor.

Qual é, afinal, o mais grave? O vírus da gripe ou o vírus da vacina? Até ver, são ambos relativamente inofensivos. Um é curado por profissionais de saúde, o outro é transmitido por profissionais de saúde. A gripe A é mais fraca do que a gripe vulgar e a vacina provoca os mesmos efeitos secundários que qualquer outra vacina. Nem a gripe nem a vacina são particularmente perigosas para o homem. No entanto, ambos os vírus são letais para o meio ambiente. Temo que não haja árvores suficientes para abastecer os jornais do papel necessário para todas as notícias, publicadas e por publicar, sobre os malefícios da gripe A e os ainda maiores malefícios da vacina da gripe A. Não admira: a toda a hora surgem novas informações. Receava-se que houvesse vacinas a menos. Agora, uma vez que ninguém as quer tomar, receia-se que sobejem. Também causa dano. Suspirou-se por uma vacina. Agora, suspira-se por uma vacina contra a vacina. A ciência que resolva este problema. Já começamos a habituar-nos ao pânico da vacina. Precisamos urgentemente de outra coisa relacionada com a gripe A para recear."

Mais um filme

Ontem a sessão foi em casa e digo-vos que já vi muitos filmes mas aconselho toda a gente a ver este. É um grande mas GRANDE filme, a todos os níveis. Uma Cameron Diaz num papel de mãe num drama familiar, sem igual na carreira dela, de certeza absoluta. Abigail Breslan no papel de uma irmã que nasceu para ser dadora de orgãos. Sofia Vassilieva no papel de doente de cancro, um papel que lhe merecia um óscar de melhor representação porque é de uma categoria sem igual para uma actriz da idade dela. Thomas Dekker num doente que vive uma história de amor e morre. Jason Patrick no papel de um pai também a viver o drama da morte presente a cada instante. Evan Ellingson o irmão que sofre tudo em silêncio. Alex Baldwin num bom papel de advogado bem como Joan Cusack a Juiza também com um drama recente na vida dela e mais alguns personagens que deram vida a este filme que é de certeza o de algumas familias na realidade. Fantástico com nos põe a pensar e a questionar a vida e a morte, a familia perante um drama desta dimensão e principalmente a vontade de quem está doente em poder decidir o que quer fazer. É realmente um filme muito "puxado" mas acho que vale a pena ver, pela interpretação dos actores, pela história e tudo o que envolve e porque não nos podemos imiscuir destas questões e dramas. Vejam, vale realmente a pena.

MY SISTER'S KEEPER

 

 

Cinema

Tenho uma filha que adora participar em concursos para ver ante-estreias de filmes e vai sempre a todas. Ontem ganhou mais 2 convites para a ante-estreia de um filme de terror em 3D "My bloody valentine" e estava chateada porque o namorado não podia ir. Conclusão, lá "engatou" o padrinho para ir e queria que a mãe também fosse. Mas filmes de terror e em 3D, não obrigado, nem mesmo oferecidas as entradas. Então e porque têm "medo" que eu fique em casa sózinha fui com eles e fui ver o "Fame" porque gosto de musica e dança e a série que deu na televisão tinha eu 17/18 anos e adorei, então optei por ir ver o remake e gostei. Tinha outra opções mas eram todas para serem vistas com o meu marido por isso aí estou eu numa sala de cinema com mais, no máximo, 10 pessoas. Deixo aqui alguns videos do que gostei mais.

 

Uma dança HOT

 

 

Uma musica fantástica

 

 

 

  Outra musica fantástica

 

  E a musica que imortalizou o Fame em versão nova

 

 

E depois disto tudo, saí bem disposta e mais constipada porque tinha o ar condicionado mesmo por cima de mim, mas recuperei energias porque um filme assim cheio de vida e adrenalina, em que se passa o tempo a trautear e a bater o pézinho deixa-nos sempre bem dispostos. Quem saíu da outra sala vinha um bocado pálido e arrepiado 

Até o S. Pedro

Isto é que é um tempo á maneira. Ainda dá para durante o dia, e enquanto está o Sol a presentear-nos com a sua presença, dar um pulinho á praia, para quem possa. O interessante é que depois lemos coisas como "Subida do nível do mar põe em risco milhares de casas australianas" ou "Praias recuam 2 metros" ou  "Mais de um quarto da superfície agrícola da Suiça está hoje ameaçada pela seca, devido ás alterações climáticas" ou "Alterações climáticas já preocupam. Temperatura média aumentou em Portugal 1,2 graus desde a década de 1930 e meio grau em 3 décadas" e depois é sempre bom ler este artigo.


"Verão pode subir oito graus

 

2009-10-23

 

O Verão em Portugal poderá ser oito graus centígrados mais quente se a temperatura global subir quatro graus centígrados acima da temperatura média do planeta na época pré-industrial, diz um estudo ontem, quinta-feira, apresentado.

Os cientistas responsáveis pelo estudo do Instituto Meteorológico britânico estimam que, se as emissões de carbono continuarem, é possível que o aquecimento global supere os quatro graus centígrados até ao final do século XXI, afectando o mundo de maneira diferente.

Na Península Ibérica, a temperatura média subiria em média mais seis graus centígrados em relação às temperaturas médias do período pré-industrial, entre 1855 e 1899, cujas temperaturas são consideradas para referência.

Estima-se que as temperaturas actuais estejam 0,8 graus acima das que eram registadas naquela época. Mas, nos dias mais quentes do ano, indicam os cientistas, as subidas de temperatura podem ultrapassar os oito graus centígrados nas regiões europeias onde se verificou a vaga de calor de 2003, o que inclui Portugal.

Segundo o cenário desenhado, a localização geográfica de Portugal poderá também implicar um risco acrescido de fogos florestais e de períodos de seca mais frequentes. Mas noutras zonas do mundo o impacto da subida da temperatura pode ser subida do nível do mar, menor produtividade agrícola e escassez de água, afectando milhões de pessoas.

No Ártico, estima-se que as temperaturas possam subir entre 14 e 16 graus centígrados, derretendo grande parte dos glaciares.

Os resultados do estudo foram apresentados no Museu da Ciência, em Londres, para marcar os 45 dias antes do início da Conferência de Copenhaga, entre 7 e 18 de Dezembro.

A partir dos resultados, os cientistas desenharam um mapa onde são indicadas algumas das consequências da subida da temperatura em quatro graus centígrados, e que pode ser consultado no site www.actoncopenhagen.decc.gov.uk."

in JN


É realmente preocupante o que se está a fazer ao planeta porque penso que a maioria das pessoas não estão bem a perceber o que o aquecimento global está a fazer nem o que se pode fazer para diminuir isso. É claro que o diminuir desse problema parte de nós mas também parte dos governantes dos vários países, principalmente os mais envolvidos nisto. Também se sabe que são consequências a longo prazo mas que se vão fazendo sentir, como este ano estamos a dar por isso, com este tempo, que já não é desta estação, estas temperaturas e sem chover o que vai agravar os problemas da seca. Seria bom que todos nós que temos acesso á Internet  fossemos ler estas coisas porque pode ser que nós já não apanhemos as consequências mas os nossos filhos e netos vão "sofrer".

A curar uma constipação

Tempo instável, fora de época, é o que dá. Constipação. E para quem tem o hábito de andar descalça por casa e com chão em mosaico, pior ainda. A zona onde vivo é muito humida por estar perto da serra e os dias são quentes mas as noites já frescas e a casa começa a estar fria. Levantar de noite para ir á casa de banho é todos os anos a minha "morte". Começo com a garganta, passo para o nariz e depois a juntar a isto vem a cabeça. Conclusão, hoje estou mais morta que viva. Depois de um dia de trabalho com vontade de ficar em casa na cama, estou de rastos. Agora é ficar por aqui mais um bocadinho, beber um chá com mel e dar-lhe com uma "bomba" para durante a noite ver se recupero porque não é fácil andar assim. Mas estou mais calma porque por enquanto ainda não me estão a nascer penas. Como não estou considerada doente de risco não vou ser vacinada contra a gripe A. Restam-me os Benuron's e o spray para a garganta.

 

Estou vivinha

Estou vivinha, apesar de estar com bastantes coisas por resolver e andar a tentar me manter á tona da água. Isto quando levamos uma, parece que vem tudo seguido. Deve ser para a "dor" não ser tão grande. 

Mas como eu até sou "mázinha" vou-me aguentar porque mulher que é mulher não se verga a porcariasinhas de nada.

Ah pois não ..............

 

(foto de Ricardo costa)

Fim semana

Espero que o fim semana seja de paz e descanso. E não quero só para mim quero para todos.

 

(foto de António Manzone)

Cá estou eu

Voltei, depois de uma pequena ausência. Ás vezes temos de parar para pôr as ideias em ordem, para enterrar de vez algumas pessoas e situações, para fazermos uma retrospectiva do que andamos a fazer nesta vida e do que nos fazem. Há um prazo para se fazer o "luto" de pessoas e coisas. Eu ainda não fiz o luto da morte dos meus pais, por exemplo. Ainda tenho muita mágoa e tristeza por os ter perdido tão cedo, tão repentinamente e tão perto um do outro porque os meus pais eram acima de tudo pilares mestres na minha vida e esse luto, esse "arrumar" na gavetinha certa, ainda não está completamente feito. Ontem, e de há uns dias para cá, tentei perceber como estavam algumas coisas na minha vida. Tentei me desculpar, tentei me justificar, cheguei ao ponto até de me "humilhar" um bocadinho para perceber certas coisas. E percebi, finalmente percebi e da pior maneira e assim depois de chorar um bocadinho, de lutar com a arritmia, de lutar com a minha cabeça e principalmente de lutar com o meu coração disse BASTA, não é isto que quero para a minha vida. Sofrer por pessoas que não valem nada, por pessoas que me fizeram sacrificar tanta coisa, que me fizeram quase que tomar decisões complicadas na vida. Por isso e depois de quase me bater a mim própria pensei "Chega, pára, arruma a cabeça e as ideias e olha em frente porque tens muito com que te preocupares na tua vida, tens muito mais á tua frente, uma familia que precisa de ti e tu também precisas mais ainda de ti." Aí mandei um grito interior "ODEIO-TE" respirei fundo, gritei mais algumas vezes e cá estou eu de volta quase que sarada e de "luto" feito por quem enterrei bem fundo no meu coração. Amor, acreditem, transforma-se muito fácilmente em ódio. PONTO FINAL

(foto em www.diabola.org)

Vida complicada

Há alturas da nossa vida que achamos que estamos num caminho sem saída, olhamos para trás e se recuarmos vamos passar por tudo outra vez, que se faz numa situação destas ??

Eu já não sei se sou eu, se são as pessoas que me rodeiam, mas estou farta disto.

 

 

Pág. 1/3